terça-feira, 30 de agosto de 2011

Terell Stafford Quintet "Berda's Bounce" Dakota Jazz Club

Bruce Barth on piano, Phil Palombi on bass, and Dana Hall on drums 2/28/08 at the Dakota Jazz Club in Minneapoli​s

Take 6 & Nnenna Freelon - Straighten Up And Fly Right

UM DOS MAIORES GRUPOS VOCAIS DOS ULTIMOS TEMPOS TAKE SIX

  vem ao Brasil e se apresenta no dia 04 de Setembro, no Credicard Hall, no Rio de Janeiro. O preço dos ingressos para o show da banda Take 6 no Rio de Janeiro em 2011 variam de R$ 80,00 a R$ 160,00 e podem ser adquiridos pelo site da Tickets for Fun A banda também se apresenta em Belo Horizonte e São Paulo.
take6 rj Show do Take 6 no Rio de Janeiro   Ingressos 6
O Take 6 é um dos principais grupos de “música à capela” do mundo todo. O grupo foi formado em 1980, no Alabama (EUA). Os cantores misturam jazz, R&B e pop, sempre falando sobre o evangelho em suas letras, criando uma atmosfera musical incrível, apesar de utilizar poucos recursos para isso.
Hoje o Take 6 tem 31 anos de carreira, tendo gravado 15 álbuns de estúdio, 2 DVDs, 20 singles, além de conquistarem diversos prêmios. O grupo divulga o novo álbum “The Most Wonderful Time Of The Year”, lançado em 2010.

Take no Rio de Janeiro

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

LANÇAMENTO .. UMA DAS MUSICAS DO NOVO DISCO DE ERIC REED STAND

Eric Reed Rehearsal
This is Eric Reed rehearsing with Willie Jones III (drums), Rodney Whitaker (bass), Stacy Dillard (tenor saxophone) and Jeremy Pelt

Turnê de João Gilberto em outubro e novembro


Clique Para ampliar! A turnê em comemoração aos 80 anos de João Gilberto, inicialmente marcada para agosto, foi adiada para outubro e novembro. Foram confirmadas datas em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Salvador e Porto Alegre, e outras ainda podem ser adicionadas. A turnê será registrada no primeiro DVD de sua carreira previsto para ter distribuição mundial.

Além de seus clássicos, João Gilberto apresentará também músicas inéditas. E outros astros devem fazer participações especiais nos shows. Os organizadores da turnê afirmam que Eric Clapton e o cantor de jazz Jon Hendricks já demonstraram interesse.

Será uma rara chance de ver o mito da bossa nova, há décadas radicado nos Estados Unidos e notório pelas longas ausências dos palcos. Além das cinco datas programadas, a produção da turnê está negociando com os governos estaduais e as prefeituras de São Paulo, Rio e Salvador a possibilidade de shows extra com ingressos a preços populares.

Datas confirmadas
28/10 • Teatro Castro Alves – Salvador
05/11 • Via Funchal – São Paulo
15/11 • Teatro Municipal – Rio de Janeiro
19/11 • Centro de Convenções Ulysses Guimarães – Brasília
25/11 • Teatro do SESI – Porto Alegre

______________________

LANÇAMENTOS; BENNY GREEN SOURCE - Benny Green - Little T (Source; 2011

 JLP JLP

Pianist Benny Green explains in the notes accompanying his new album that it's his first trio recording as a leader in 10 years. Pianista Benny Green explica nas notas que acompanham o seu novo álbum que é o seu primeiro trio de gravação como líder em 10 anos. “I just wasn't motivated to have a band,” he writes, and it's tempting to think he spent the time sulking, Achilles-like, because so many young people “know nothing of what jazz is. "Eu simplesmente não estava motivado para ter uma banda", ele escreve, e é tentador pensar que ele passou o tempo de mau humor, Aquiles-like, porque tantos jovens "não sabem nada do que é jazz. Who can blame them for believing it's a face on a magazine cover or anything employing a horn or improvisation? Quem pode culpá-los por acreditar que é um rosto na capa de uma revista ou qualquer coisa que emprega um chifre ou improvisação? Most singers and songwriters today are marketed as being somehow jazz-influenced or jazz-based.” A maioria dos cantores e compositores de hoje são comercializados como sendo de alguma forma influenciados ou jazz-jazz-based. "
Be thankful, then, that Green has decided to re-enter the battle to give his beloved jazz its due, joined by the stellar bass-drums team of Peter Washington and Kenny Washington. Seja grato, então, que Green decidiu re-entrar na batalha para dar a sua amada jazz que lhe é devido, juntamente com a equipe de baixo-bateria estelar de Peter Washington e Washington Kenny. “They keep me honest and inspire me to practice,” says Green of the Washingtons (no relation), who also bring extraordinary rapport from more than a decade working together in Bill Charlap's trio. "Eles me manter honesto e me inspirar para a prática", diz Green do Washingtons (nenhum parentesco), que também trazem harmonia extraordinária de mais de uma década trabalhando em conjunto em trio Bill Charlap é. Green, who cut his teeth with Betty Carter and Art Blakey's Jazz Messengers, among others, is best known as a hardcore hard bopper, and there is plenty of great stuff in that vein here: Sonny Clark's “Blue Minor,” Carl Perkins' “Way 'Cross Town,” Donald Byrd's “Little T,” Kenny Drew's “Cool Green” and Duke Pearson's “Chant” all getting exemplary hard-swinging, blues-soaked takes. Green, que cortou seus dentes com Betty Carter e Mensageiros Art Blakey Jazz, entre outros, é mais conhecido como um bopper de hardcore duro, e há muita coisa boa nessa linha aqui: Sonny Clark "Minor Blue", Carl Perkins '" Cidade Cruz Way ', T "Donald Byrd" Little, Green "Kenny Drew" Cool "e Duke Pearson" Chant "todos os exemplares ficando hard-balançar, blues-encharcada demora.
But Green can play slow and quiet, and breaks things up with lush, idea-rich interpretations of ballads by Dizzy Gillespie (“I Waited for You”), Benny Golson (“Park Avenue Petite”) and Mel Tormé (“Born to Be Blue”). Mas Green pode jogar lento e silencioso, e quebra as coisas com exuberante, rica em interpretações idéia de baladas por Dizzy Gillespie ("Eu esperei por você"), Benny Golson ("Park Avenue Petite") e Mel Tormé ("Born to Be azul "). As strong as all the rest of it is, though, the album's highlights are arguably Bud Powell's “Tempus Fugit,” which Green flies through at warp speed, and the nearly as breakneck set-closer, Horace Silver's classic “Opus de Funk.” Source could make a delightful postbop primer for those benighted young folks Green worries about. Tão forte como todo o resto é, no entanto, destaques do álbum são, indiscutivelmente, Bud Powell, "Tempus Fugit", que verde voa na velocidade da urdidura, e quase tão vertiginosa set-mais perto, Horace Silver clássico "Opus de Funk". fonte poderia fazer uma cartilha postbop deliciosa para aquelas pessoas ignorantes jovens Verde se preocupa com.

domingo, 28 de agosto de 2011

The ODU Jazz Choir with Terrell Stafford O MELHOR TRUMPETISTA DA ATUALIDADE

Nicholas Payton - Live at the JVC Newport Jazz Festival 1997

John Coltrane - O jazz como expressão da alma My Favorite Things 1965

Por Helton Ribeiro

Clique Para ampliar! Ele foi o mais importante saxofonista surgido depois de Charlie Parker, desenvolvendo um novo modo de tocar que ampliou os horizontes do jazz.

John Coltrane evoluiu do hard bop para o jazz modal e o free, incorporando estruturas da música indiana e imbuindo suas interpretações de forte carga emocional e mística.

Suas “sheets of sounds” (sequências de notas tão rápidas e longas que davam a impressão “folhas” ou camadas de som) tornaram-se um desafio para os saxofonistas.

John William Coltrane nasceu em Hamlet, Carolina do Norte, em 23 de setembro de 1926. Tocou em grupos de rhythm & blues e depois com Dizzy Gillespie e Johnny Hodges.

Atingiu a maturidade musical no lendário quinteto de Miles Davis nos anos 50, no qual permaneceu de 55 a 60, tendo participado do disco “Kind of Blue”, marco do jazz modal. Nesse período também fez uma histórica colaboração com Thelonious Monk e lançou, em 59, “Giant Steps”, sua primeira grande obra como líder, na qual já esboçava as “sheets of sounds”.

Ao deixar Miles, formou o clássico quarteto que incluía McCoy Tyner (piano) e Elvin Jones (bateria). Ainda em 60, lançou “My Favorite Things”, outra obra-prima.

Suas experimentações atingiram a plenitude em “A Love Supreme”, de 64, onde ele mergulhou na música indiana e no espiritualismo. “Ascension”, de 65, marca sua adesão ao free jazz.

Ele estava no auge da carreira quando, em 17 de julho de 67, morreu de infecção hepática em Huntington, Nova York.

sábado, 27 de agosto de 2011

Miles Davis & John Coltrane - So What (Live Video)

Miles Davis & John Coltrane - So What (Live Video)
Live Video from April 1959 of Miles Davis and John Coltrane performing "So What.&quot​; From Miles Davis' album, "Kind Of Blue.&quot ...
 9 min

Autumn Leaves - Chet Baker & Paul Desmond Together

A song performed by Chet Baker (trumpet), Paul Desmond (alto sax), bob James (Keyboards), Ron Carter (contrabass), Steve Gadd (drums).

Scott Hamilton & Harry Allen - Cotton Tail

Cotton Tail

enregistré en 2007 à Burghausen

Scott Hamilton (ts), Harry Allen (ts), Olaf Polziehn (p), Dave Green (b), Steve Brown (dr)

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Art Blakey's Jazz Messengers - A La Mode

Art Blakey's Jazz Messengers performing "A La Mode" for a German TV special in 1989 celebrating Art's 70th birthday.

Lineup:Wayne Shorter ts, Freddie Hubbard, Terence Blanchard tp,Jackie McLean as, Benny Golson ts, Walter Davis Jr. p, Curtis Fuller tb Buster Williams b and Roy Haynes d.

TAKE SIX EM SÃO PAULO NA BOURBON STREET

Take 6 em 29 de agosto


Clique Para ampliar! Um dos grupos vocais de maior sucesso na música negra americana contemporânea, o Take 6, apresenta-se na casa em show único em 29 de agosto.

O sexteto já ganhou nada menos que 10 Grammys e 16 prêmios da conceituada revista de música Billboard. Tocou para Nelson Mandela (quando era presidente da Áfica do Sul) e presidentes dos Estados Unidos. E fez um concerto com orquestra sinfônica tendo ninguém menos que Stevie Wonder na gaita.

COMFIRMADO FESTIVAL TUDO É JAZZ EM OURO PRETO EM SETEMBRO 2011

A Prefeitura de Ouro Preto assina acordo com a produtora do Festival Tudo é Jazz, Maria Alice Martins, para ajudar a viabilizar a realização da 10ª edição do evento que se consagrou no calendário da cidade. O festival será realizado entre os dias 22 e 25 de setembro, época em que Ouro Preto se transforma na capital internacional do Jazz.

Na programação cultural estão previstas atrações como shows e exposições. O prefeito Angelo Oswaldo afirma que “nosso festival é hoje um dos mais reconhecidos no cenário mundial. No próximo mês, receberemos artistas do mundo inteiro”.

O Tudo é Jazz também está criando uma identidade musical na cidade de Ouro Preto. Segundo o secretário de Cultura e Turismo, Chiquinho de Assis, “o festival tem deixado laços na cidade, não apenas por movimentar a economia local. Agora está sendo consolidado um trabalho de parceria com o município”.

Durante o festival, estarão presentes grandes artistas como Milton Nascimento, Ivan Lins, Maria Rita e outros. A produtora Maria Alice adianta que no último dia haverá um grande concerto em homenagem ao cantor e compositor Tom Jobim na praça Tiradentes, com a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais. 
Fonte: www.ouropreto.mg.gov.br

JAZZ FOLKLORE /PAULO ROBERTO PINHEIRO

Era costume que os LPs de jazz norte americanos, ao serem prensados e editados em outros paises, tivessem os textos e informações de contracapa vertidos para o idioma nacional. Contudo, nossos queridos irmãos argentinos radicalizavam, e traduziam para o espanhol até os títulos das canções, mesmo sabendo que, no caso, a sonoridade das palavras é até mais importante do que o seu significado.
             Desatento a esse fato, estranhei , ao examinar um disco do Oscar Peterson produzido na Argentina.,  a existência de uma faixa chamada  “Munhequita de Seda”. Conhecendo um pouco do repertório do pianista, imaginei ter em mãos uma incrível raridade em que o canadense toca um tango ou uma guaracha. Ansioso, botei no toca-discos e vi que se tratava ,simplesmente,do clássico “Satin Doll”.
            Se o sempre elegante Duke Ellington  viesse a saber disso, certamente perderia a linha e diria:
          - Atenção milongueiros, munhequita de seda é a ... deixa pra lá.
-


GEORGE ADAMS E DON PULLEN QUARTET

George Adams & Don Pullen Quartet play "Intention​s".
" Intentions​" by George Adams. George Adams -Tenor Sax; Don Pullen -Piano; Cameron Brown -Bass; Danny Richmond -Drums. Ronnie Scotts ...

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

MARAVILHAS DE HORACE PARLAN

Saturday, November 14, 2009

Horace Parlan - Frank-ly Speaking 1977 http://www.mediafire.com/?jwbwiaoomnj CLIKE AQUI PARA BAIXAR O DISCO

Wouter sent me this one back in the thick of the Frank Strozier series and I promptly forgot it but since we have revisited and expanded that series lately it's time I posted this. This also gives us a Horace Parlan for piano time, I may have to pull another one out too.

This is a very lively, upbeat session for Horace featuring both Frank Strozier and Frank Foster with Lisle Atkinson on bass and Al Harewood on drums. The program is pretty unusual in the selection of tunes, featuring no less than 3 compositions by Idrees Sulieman, an obscure Duke Jordan, a great Thad Jones, originals by each Lisle and Horace and an enjoyable romp called Veronica's Walk by Tony Inzalaco, which sounds familiar even though I've never heard of the composer. I haven't heard Atkinson more than maybe once before but I certainly dig him on this record. A very enjoyable hard bop session.

Horace Parlan - Frank-ly Speaking
Steeplechase 1977

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

SAUDADES DE FREDDIE HUBBARD

SUZANNE PITTSON FAZ UM TRIBUTO A FREDDIE HUBBARD EM "OUT OF THE HUB"

Buscando a essência da Freddie Hubbard: Suzanne Pittson "Out of the Hub"
 Suzanne vocalista Pittson previamente aceitou o desafio de interpretar John Coltrane liricamente 's opus "Resolução" de "A Love Supreme". Com o consentimento de Alice Coltrane, ela o fez com toda a humildade, devido ... e com gosto! NEA Jazz Master trumpeter Freddie Hubbard . Seu mais recente esforço é um tributo de amor a um artista cuja lenda parece estar crescendo lentamente em ascendência, o falecido Mestre NEA Jazz trompetista Freddie Hubbard.  Para "Out of the Hub" Suzanne endereços composições creditada a Freddie e músicas que ele indelevelmente melhorada através de sua arte, e ela atinge essa meta admirável, na companhia de alguns dos melhores músicos contemporâneos, incluindo o trompetista Jeremy Pelt, o saxofonista Steve Wilson, o baixista John Patitucci, o baterista Willie Jones 111, cônjuge e Jeff Pittson no piano. 

 Por que Freddie Hubbard, e que é sobre sua música que te inspirou a fazer esta gravação? 

Deixe-me explicar-lo desta maneira - na hora que eu ouvir um Freddie Hubbard gravação, eu só tenho que ir transcrever seu solo e eu, invariavelmente, fortalecer a minha determinação para se tornar um melhor músico e improvisador.  Acho que isso resume o conceito de um mentor. Então eu teria que dizer que esta gravação foi feita como uma expressão da minha gratidão e como uma oportunidade para desenvolver minhas habilidades de improvisação por meio de composições que eu amo.
. Ouvi pela primeira vez com o Freddie VSOP - Herbie Hancock, Wayne Shorter, Ron Carter e Tony Williams - no Teatro Grego em Los Angeles.  Eu estava completamente fascinada com Freddie tocando e depois que fui ouvi-lo sempre que possível.  Seu comando do instrumento e entrega apaixonada foram surpreendentes.  Eu cresci em uma família de músicos de jazz e ouviu jazz a partir de uma idade muito jovem, no entanto, naquela época, eu estava estudando para ser pianista clássico.  Quando os problemas de mão forçou-me a encontrar um outro meio de expressão artística, comecei a cantar jazz. Com um fundo de piano extensa e diplomas de graduação e mestrado em música sob o meu cinto, eu fiquei muito determinado a aprender a linguagem jazz, e começou a transcrever e cantando solos pela instrumentistas do jazz moderno.Quanto mais eu estudava música de Freddie, mais eu ganhei o respeito a profundidade de sua arte.  Ele simplesmente nunca perdeu. Irônico que o meu marido Jeff partes meus sentimentos, e houve um momento em que ouvimos constantemente para uma fita caseira de solos, mas nada Freddie.  Ao longo dos anos, eu executei músicas como "Skydive", "Take It To The Ozone" e "Como Byrd." Mas foi em  2003 que comecei a escrever letras para várias de suas músicas, e realizou um conjunto completo de sua música.

. Eu vejo da foto montage CD que você teve a oportunidade de interagir com Freddie antes que ele passou. Did you have the concept of interpreting his tunes at that time? Você tem o conceito de interpretar suas músicas naquela época? 

Este projecto é algo que venho pensando há muito tempo. Como eu mencionei acima, eu tinha escrito letras para um bom número de canções de Freddie em 2003, realizando-as ao longo dos anos. No entanto, a mudança 2005 de San Francisco a Nova York adiou o projeto até 2008.  Em junho de 2008 Jeff e eu fui ouvir show de aniversário de Freddie 70 no Clube de Jazz Iridium, em Nova York com a intenção de lhe contar sobre o projeto. Enquanto estávamos nos bastidores, onde esta foto foi tirada, eu não só pediu sua permissão para gravar sua música, mas também lhe disse que ele era o meu ídolo (ele tinha acabado de contar o cara na frente de nós que Clifford era seu ídolo, então Eu segui o seu exemplo). Ele remeteu-me para seu editor, Laurie Goldstein que me ajudaram a apresentar a letra para a aprovação oficial. Freddie aprovou as letras das cinco de suas composições em 15 de setembro de 2008, apenas três meses antes de falecer, dizendo que estava muito lisonjeado e ansioso para ouvir o CD. Eu nunca vou esquecer sua bondade ou a confiança que ele depositou em mim.

 Você escolheu uma ampla gama de materiais relacionados à Freddie, a partir de seu clássico jazz "Up saltou da Primavera" de uma das músicas pop que ele interpretou, "Betcha By Golly Wow!" Considerando seu livro, como é que você vai fazer essas escolhas? 

. Depois de falar com Laurie Goldstein, descobri que algumas das músicas que eu esperava para gravar, não eram de propriedade de Freddie. Eles haviam sido apropriados pela gravadora nos primeiros anos, antes de direitos autorais de sua música ou montou sua Companhia de Música Hubtones. Só de ouvir isso me irritou, e eu prontamente mudou meu repertório de músicas do Catálogo Hubtones - que foram realmente possuído por Freddie - e junto com meu marido Jeff e filho adolescente Evan, começou a escrever novas letras.  Isto incluiu Lament Para Booker com o vocalese, True Colors, The Melting Pot e Um de outro tipo. Evan, que tinha 15 anos na época, escreveu a letra de uma de outro tipo, retitling-lo fora do Hub. Eu já tinha escrito Byrd Como e Crise com vocalese, vinha desempenhando até saltou de Primavera (com letras incríveis Abbey Lincoln), Você é meu tudo, momento a momento e Betcha By Golly, Wow!  As letras foram escritas por Gibraltar Catherine Whitney, uma cantora em Chicago que eu encontrei através Hubtones. A linguagem de improvisação impressionante Freddie realmente me emociona, por isso estou atraído para as músicas que exibem essas linhas complexas. Quando visto a partir desta perspectiva, torna-se claro por que eu fiz algumas destas escolhas.  Naturalmente, a maioria das músicas Freddie refletem esse elemento de sua maneira de tocar.  Mas eles nunca são sobre técnica pura - eles também incorporam lirismo. Há alguns anos, Freddie participaram de um "artista Seleciona" compilação de sua música a partir dos anos a Blue Note.Aconteceu de eu ver esse CD há um mês atrás e notei que cinco das músicas que Freddie selecionado como suas favoritas são as que eu gravei - Como Byrdlike , The Melting Pot, Lament para Booker, saltou para cima da Primavera e Crise.   Eu tomei isso como um aceno de aprovação.

 Você está também a sorte de estar trabalhando com um elenco tão forte de músicos nesta data.
? O que o planejamento foi para a seleção deste grupo especial de músicos e como você trabalha essas seleções com eles? 

Sim, estou muito feliz que esses caras concordaram em brincar comigo e isso tomou uma grande dose de planejamento. Felizmente Dois Sistemas de Gravação acomodados minha sessão no apenas 2 dias que John Patitucci estava disponível!. John, além de ser um baixista incrível e um músico, é também um colega no City College de Nova York. Então eu perguntei a John primeira e construiu a programação em torno dele. . Isso deu-me um ponto de partida.. Eu joguei com Steve no ano anterior, e Jeff conheceu Jeremy em uma sessão.  Nome de Willie apareceu e ele estava livre. E eles se conheciam de várias sessões e shows.  Meu marido Jeff concebeu novos arranjos para as pontas (com fabulosas solis original para voz e instrumento) e criei todas as cartas no Finale. Nós tivemos um ensaio na véspera da sessão, então só fui no estúdio e tocou ... ... com os cornos no primeiro dia e com apenas a mim mesmo e seção rítmica no segundo.  Esses caras são leitores mestre, então eles são usados ​​para fazer as coisas direito da primeira vez. Todos eles jogou muito bem, como você pode ouvir, e eu acredito que fomos fiéis ao espírito de Freddie.  Eu já executou o material com outras bandas, e cada um traz um conceito único para a mesa. Gosto de criar um ambiente onde cada músico pode expressar livremente a si mesmos, onde não se sente bloqueado ou restrito.  Com isto dito, eu estou ansioso para ver como evolui este material para a estrada!
"A tarefa da arte é enorme."
–Leo Tolstoy -Leo Tolstoy

terça-feira, 23 de agosto de 2011

O MARAVILHOSO QUINTETO DE JAMES CARTER - IS THAT SO

James Carter Quintet - Is That So
James Carter Quintet:
James Carter - tenor sax
Corey Wilkes - trumpet
Gerald Gibbs - piano
Ralph Armstrong - bass
Leonard King - drums
23 July 2010 / XIII Festival de Jazz de San Javier
Auditorio del Parque Almansa (San Javier, Murcia

OS DOZE DISCOS MAIS ESCUTADOS NA TERRA DO JAZZ ESTA SEMANNA

01 Monty Alexander, Harlem-Kingston Express Live
02 Chick Corea/Stankey Clarle/Lennie White, Forever
03 The New Gary Burton Quartet, Common Ground
04 Stefon Harris, David Sánchez, Christial Scott, Ninety Miles
05 Dave Valentín, Pure Imagination
06 Deep Blue Organ Trio, Wonderful!
07 Gerald Wilson Orchestra, Legacy
08 Rick Stone, Fractals
09 Ben Williams, State Of Art
10 Terri Lyne Carrington, The Mosaic Project
11 H2 Big Band, You´re It
12 Jay Ashby & Steve Davis, Mistaken Identity

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

MARAVILHAS DE CHET BAKER

Sunday, June 19, 2011

Chet Baker - Boppin' With The Chet Baker Quintet

Chet Baker
Boppin' With The Chet Baker Quintet
PR 7512

NYC, August 23, 25 & 29, 1965
Personnel:
Chet Baker (flh)
George Coleman (ts)
Kirk Lightsey (p)
Herman Wright (b)
Roy Brooks (d)

Go-Go
Lament For The Living
Pot Luck
Bud's Blues
Romas
On A Misty Night
-----------------------------------
Tracks
1. Go-Go [Carpenter] 4:12
2. Lament for the Living [Dameron] 7:01
3. Pot Luck [Bruce, Carpenter ] 8:17
4. Bud's Blues [Stitt] 6:17
5. Romas [Dameron] 6:52
6. On a Misty Night [Dameron] 7:34

Chet Baker was quite busy during three days in August 1965, recording five LPs worth of material with tenor saxophonist George Coleman (formerly with Miles Davis), pianist Kirk Lightsey, bassist Herman Wright and drummer Roy Brooks. Baker, sticking to flugelhorn, is heard in fine form on this LP, the last of the five to be released. Most of the selections are taken at relaxed tempos, but it is the hottest number, "Go-Go," that is most memorable. Considering that Baker's records of the next few years were consistent commercial turkeys (including A Taste of Tequila, In the Mood, the infamous Albert's House and Blood, Chet and Tears), it can accurately be stated that the Prestige sets are Chet Baker's last worthwhile recordings before his comeback began in 1974.
http://www.mediafire.com/?wra8aena7avz6yr clicar aqui para baixar o disco

Out of Nowhere - Willie with Jamey Aebersold and Friends, Aebersold Jazz Camp 2011

PATTY ASCHER BRILHANDO EM NOVA YORK


El jueves de la semana que comienza se presentará en la sede de The Brazilian Endowment For The Arts Film Society , en la Calle 52 de Nueva York, la cantante de jazz brasileña Patty Ascher , invitada por esa institución. Na quinta-feira o início semana será apresentado na sede da Fundação Brasileira para a Sociedade de Cinema de Artes, na 52nd Street New York, cantora de jazz brasileira Patty Ascher, convidado por essa instituição. Esta es una oportunidad para los neoyorquinos de escuchar una de las voces más frescas del jazz del Brasil. Esta é uma oportunidade para os nova-iorquinos para ouvir uma das vozes mais frescos jazz do Brasil. Patty ha sido elogiada por grandes músicos de fuera de su país, desde Burt Bacharach hasta Michel LeGrand quien dijo recientemente: "He realizado dos giras con ella y eso me enorgullece. Patty Ascher me recuerda a Ella Fitzgerald, Sarah Vaughan y Billie Holiday porque su voz hipnotiza en el escenario. Es una gran diva...". Patty tem sido elogiado por grandes músicos do exterior, de Burt Bacharach para Michel Legrand, que disse recentemente: ". Eu fiz dois passeios com ela e isso me deixa orgulhoso Patty Ascher me lembra Ella Fitzgerald, Sarah Vaughan e Billie Holiday porque sua voz hipnotizante no palco. ... ". É uma grande diva

domingo, 21 de agosto de 2011

THELONIOS MONK Bolivar Blues Japan, 1963

Thelonious Monk - O alto sacerdote do bebop
Por Helton Ribeiro

Clique Para ampliar! Durante muito tempo, o estilo diferente e estranho do pianista foi visto como falta de técnica. Pausas, compassos irregulares, dissonâncias, um toque percussivo e anguloso fizeram de Monk um músico único no jazz. Além disso, ele foi um dos maiores compositores do gênero, com obras-primas como “’Round midnight”, “Blue Monk”, “Straight no chaser”, “Ruby, my dear” e “Epistrophy”.

Até o nome, Thelonious Sphere Monk, era esquisito. Nascido em 10 de outubro de 1917 em Rocky Mount, Carolina do Norte, aprendeu a tocar aos 11 anos e profissionalizou-se aos 22. Fez parte do grupo que criou o bebop, no início dos anos 40, gravando com Charlie Parker e Dizzy Gillespie.

De 47 a 59, produziu seus maiores clássicos, solo ou acompanhado por nomes como Sonny Rollins, Milt Jackson, Art Blakey e John Coltrane (com quem formou um lendário quarteto, no final dos anos 50). “Monk’s Music”, “Brilliant Corners” e “Thelonious Monk with John Coltrane” estão entre os melhores discos dessa época.

Consagrado, fez várias excursões pela Europa nos anos 60. Em 71 e 72 integrou o grupo “all stars” Giants of Jazz, que incluía Dizzy Gillespie, Art Blakey e Sonny Stitt. Em meados da década, retirou-se de cena devido a problemas de saúde. Morreu em 17 de fevereiro de 82, de ataque cardíaco. Seu filho homônimo, que abreviou o nome para T.S. Monk, é hoje um baterista renomado.

FESTIVAL DE SMOOTH JAZZ EM JANEIRO

Data: 15 de janeiro de 2012
Time: 00:00 - 00:00 Horário: 00:00 - 00:00
Location: , Localização:,

David Sanborn (pictured above) and Marcus Miller will host “the Greatest Party at Sea,” otherwise known as the Smooth Jazz Cruise 2012. David Sanborn (foto acima) e Marcus Miller vai sediar "a maior festa no Mar", também conhecido como o Smooth Jazz Cruise 2012. Actually, due to popular demand, there will be two Smooth Jazz Cruises 2012. Na verdade, devido à demanda popular, haverá dois Cruises Smooth Jazz 2012. The one hosted by Sanborn and Miller will feature Motown legend Smokey Robinson. O hospedado por Sanborn e Miller terá lenda da Motown Smokey Robinson. Other stars that will perform aboard the Holland America M/S Westerdam to Nassau, St. Thomas, St. Barths and the private island of Half Moon Clay are Boney James, Rick Braun, Candy Dulfer, Eric Darius, Jeff Golub, Rahsaan Patterson, Patrice Rushen, Joe Sample, Brian Simpson, Peter White and DW3, the official party band of The Smooth Jazz Cruise. Outras estrelas que irá executar a bordo da Holland America M / S Westerdam para Nassau, St. Thomas, St. Barths e na ilha privada de Half Moon são Barro Boney James, Rick Braun, Candy Dulfer, Eric Darius, Jeff Golub, Rahsaan Patterson, Patrice Rushen, Joe Sample, Brian Simpson, Peter White e DW3, a banda oficial do partido de O Cruzeiro Smooth Jazz.
Reservation are now being accepted for the week-long musical voyages scheduled to run January 15-22, 2012, and January 22-29, 2012. Reserva estão sendo aceitas para as viagens de uma semana musical programado para ser executado 15-22 janeiro de 2012, e janeiro 22-29, 2012.
“We are very proud and excited to announce the 2012 lineup,” says the Smooth Jazz Cruise's executive director Michael Lazaroff. "Estamos muito orgulhosos e animado para anunciar a linha de 2012", diz o Cruzeiro Smooth Jazz é o diretor executivo Michael Lazaroff. “It is a very special lineup because we asked our guests who they'd most like to see perform … and that's who we booked. "É uma programação muito especial porque nós perguntamos aos nossos convidados que eles mais gostariam de ver realizar ... e isso é que nós reservado. Our guests are our number one priority and we do everything we can to provide them with a fun, first-class experience and an unforgettable musical vacation.” Os nossos clientes são nossa prioridade número um e fazemos tudo o que pudermos para lhes proporcionar uma experiência divertida, de primeira classe e umas férias inesquecíveis musical. "
The cruise attracts extraordinary repeat business: nearly 60 per cent of the guests return to sail aboard the Smooth Jazz Cruise again. O cruzeiro atrai novos negócios extraordinário: quase 60 por cento dos clientes de retorno para navegar a bordo do Cruzeiro Smooth Jazz novamente. Recognizing their loyalty, for the first time, a special rate will be offered for the 2012 cruise for guests who have sailed with the program four or more times Reconhecendo a sua lealdade, pela primeira vez, uma taxa especial será oferecida para o cruzeiro de 2012 para os clientes que tenham navegado com o programa de quatro ou mais vezes
The Smooth Jazz Cruise sailed its maiden voyage in 2004. O Cruzeiro Smooth Jazz navegou sua viagem inaugural em 2004. It presents a wealth of opportunities to meet artists personally off-stage in an out-of-the-ordinary setting. Ela apresenta uma riqueza de oportunidades para conhecer pessoalmente os artistas fora do palco em um out-of-the-ordinária definição. In addition, guests enjoy nightly headline concerts with unique artist pairings to choose from in large showrooms as well as in more intimate lounges, cocktail parties hosted by the musicians, afternoon autograph and question-and-answer sessions, contests and even morning exercise classes. Além disso, os hóspedes desfrutam de shows todas as noites com manchete pairings artista único a escolher em showrooms grandes, bem como em salas mais intimistas, festas cocktail oferecido pelo músicos, tarde de autógrafos e de perguntas e respostas sessões, concursos e até aulas de ginástica de manhã. Reservations can be made from the US and Canada by calling 888-852-9987. As reservas podem ser feitas de os EUA e Canadá pelo telefone 888-852-9987. For more information, go to http://www.thesmoothjazzcruise.com/ . Para mais informações, vá para http://www.thesmoothjazzcruise.com/ .

terça-feira, 16 de agosto de 2011

NORMA... DE HORACE PARLAN UM DOS MEUS TEMAS FAVORITOS NO JAZZ

JAZZ FOLKLORE / PAULO ROBERTO PINHEIRO

 “Na historia da evolução do jazz, apenas um estilo apresenta características capazes de defini-lo como uma forma imortal: o estilo New Orleans”.
       “Os outros estilos, o chamado estilo Chicago inclusive, são ainda formas precárias”
           Estas e outras observações radicais fazem parte do prefacio à edição de 1953 do livro “Jazz Panorama”,  do saudoso Jorginho Guinle , assinado por – acreditem – Vinicius de Morais.
           Tendo em vista que- entre outras obras - o “Birth of the Cool” de Miles  já estava, na época,  há  três anos na praça,  parece que o poetinha era muito mais conservador e ortodoxo em relação ao Jazz do que o Tinhorão viria a ser em relação à Bossa  Nova dele.

TRIBUTO A RAY BROWN

http://www.bluenote.net/newyork/schedule/moreinfo.cgi?id=9137

Eric Alexander Quartet - In The Still of The Night - Chivas Jazz Festival - SP - 2003

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

The Hippest Jazz Camp: Jazz in July at UMass - Faculty Concert - Steve Kuhn and Friends

Jazz in July at UMass Faculty Concert, Amherst, MA, July 21, 2011 "Softly as In A Morning Sunrise: Steve Kuhn, piano; Avery Sharpe, bass; Steve Johns, drums; Derrick Gardner, trumpet.

sábado, 13 de agosto de 2011

HARRY EDISON E BENNY CARTER 1983

ROY HARGROVE INVITATION

Jackie MacLean, Woody Shaw Cool Struttin' at Mt.Fuji Jazz in 1986

PONCHO SANCHEZ NO FESTIVAL DE LAS ARTES

 Conga jogador Poncho Sanchez Legendary apresentados hoje na Festival de las Artes , en Laguna Beach, California, en una serie especial de eventos llamados " Jazz On The Green ", después del mediodía, en lo que se espera sea una "fiesta" de jazz latino, ya que la entrada al evento es libre y el pronóstico del tiempo totalmente favorable, en pleno verano ahí. Festival of the Arts em Laguna Beach, Califórnia, em uma série especial de eventos chamado "Jazz On The Green," depois de meio-dia, em que se espera ser uma "celebração" do jazz latino, como a entrada para o evento é tempo livre e totalmente favorável, no verão lá. Sánchez, de origen mexicano y ganador de un premio Grammy , se ha transformado en uno de los más destacados exponentes del jazz latino, especialmente en la costa Oeste, de EEUU. Sanchez, um vencedor do Prêmio Grammy mexicanos e, se tornou um dos principais expoentes do jazz latino, especialmente na Costa Oeste dos os EUA. Entre otros, Poncho Sánchez ha tocado con Cal Tjader, Mongo Santamaría, Hugh Masakela, Clare Fischer y Tower Of Power . Entre outros, Poncho Sanchez já tocou com Cal Tjader, Mongo Santamaria, Masakela Hugh, Clare Fischer e Tower Of Power. Como líder ha grabado casi una treintena de álbumes. Como líder, ele tem gravado quase trinta álbuns.
FONTE  NOTICIASJAZZ.BLOGSPOT.COM
------------ ------------

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

WYNTON MARSALIS ........... WHAT IS THIS THING CALLED LOVE

JAZZ FOLKLORE........COM PAULO ROBERTO PINHEIRO

Quem não conhece o standard "Lullaby of Birdland"? A canção teria sido encomendada ao pianista George Shearing, pelo proprietário do Birdland jazz club, para servir de prefixo da casa. George teria recebido cem dólares pelo serviço. Se for verdade, foram os cem dólares mais bem empregados da historia da humanidade.

Stefon Harris, David Sánchez and Christian Scott,

 Noven1BY FRANK ALKYER
ta Miles é o projeto mais ambicioso de gravação para vir através dos escritórios Downbeat este ano.
With the Obama administration's more relaxed restrictions on travel to Cuba, a trio of artists who had never played together—trumpeter Christian Scott, vibes master Stefon Harris and saxophonist David Sánchez—traveled the 90 miles from Florida to Cuba, spending a week in Havana to meet and record with some of the island's top improvisers. Com restrições mais relaxado do governo Obama para as viagens a Cuba, um trio de artistas que nunca tinham jogado juntos, trompetista Christian Scott, vibes mestre Stefon Harris eo saxofonista David Sánchez-viajou a 90 milhas da Flórida para Cuba, passar uma semana em Havana para atender e gravar com alguns dos improvisadores de topo da ilha. The results are stunning. Os resultados são impressionantes. Scott, Harris and Sánchez are joined by pianists Rember Duharte and Harold López-Nussa, bassists Osmar Salazar and Yandy Martinez González, drummers Eduardo Barroetabeña and Ruy Adrián López-Nussa, and percussionists Jean Roberto San Miguel and Edgar Martinez Ochoa. Scott, Harris e Sánchez são unidos por pianistas Rember Duharte e Harold López-Nussa, Osmar baixistas Salazar e Martinez Yandy González, Eduardo bateristas Barroetabeña e Adrián Ruy López-Nussa, e Jean percussionistas Roberto San Miguel e Edgar Martinez Ochoa. If these men were not in Cuba, their names would be much better known in the United States. Se estes homens não estavam em Cuba, os seus nomes seria muito mais conhecido nos Estados Unidos. They are flat-out brilliant musicians. Elas são planas-out músicos brilhantes. This entire endeavor was fraught with obstacles and opportunities for things to go wrong—from travel challenges to cultural differences to simply learning, rehearsing and playing the material in seven days—and that's part of what makes Ninety Miles such a compelling project. Este esforço todo foi cheio de obstáculos e oportunidades para as coisas darem errado, desde desafios viajar para as diferenças culturais para simplesmente aprender, ensaiar e tocar o material em sete dias e que é parte do que faz Ninety Miles um projeto tão atraente. There is an immediacy, urgency and beauty to the music. Há um imediatismo, urgência e beleza para a música. It is simultaneously primal and sophisticated, simple and complex. É ao mesmo tempo primal e sofisticado, simples e complexas. Take, for example, the opening track, “Ñengueleru,” composed by Duharte, which begins with the pianist creating a rapid-fire vamp. Tomemos, por exemplo, a faixa de abertura ", Ñengueleru", composta por Duharte, que começa com o pianista a criação de um vamp rápido-fogo. He is joined by a Cuban rhythm section with Harris setting up a spicy, clave-infused broth for the horn line to join, and for some soulful solo work by Sánchez. Ele é acompanhado por uma seção rítmica cubana com Harris criação de um caldo picante, clave de infusão para a linha de chifre para se juntar, e por algum trabalho solo soulful por Sánchez. It has you tapping your toes and pondering the intricacies of the multilayered percussion. Tem que tocar os dedos dos pés e ponderando os meandros da percussão de várias camadas. The CD/DVD package includes scenes from director Devin DeHaven's documentary about the making of the record. O pacote de CD / DVD inclui cenas do documentário diretor Devin DeHaven sobre o making of do álbum. This footage gives the listener a deeper understanding of the radiance of this music and a greater appreciation of these artists. Ninety Miles is an important artistic and cultural milestone. Este filme dá ao ouvinte uma compreensão mais profunda da radiância desta música e uma maior valorização desses artistas. Ninety Miles é um marco importante artístico e cultural.

TRIBUTO PARA CANTORA JONI MITCHEL

 A 17 de janeiro entrará em vigor um tributo ao cantor, guitarrista e compositora Joni Mitchell no Hollywood Bowl em Los Angeles. Entre los músicos de jazz que tomarán parte se cuentan Herbie Hancock, Wayne Shorter, Kurt Elling, Cassandra Wilson, Aimee Mann, Chaka Khan y otros. Joni Mitchell , una verdadera "superestrella" de la época hippy ha ido abrazando al jazz en las últimas décadas de forma genuina y efectiva. Entre os músicos de jazz participam incluem Herbie Hancock, Wayne Shorter, Kurt Elling, Cassandra Wilson, Aimee Mann, Chaka Khan e outros. Joni Mitchell, uma "superstar" verdadeiro da era hippy de jazz foi abraçado nos últimos décadas de real e efectiva. Los músicos que actuarán en el Hollywood Bowl la próxima semana tendrán el apoyo del baterista Brian Blade y del pianista Jon Cowherd para un repertorio de temas grabados por Joni Mitchell quien, sin ambargo, no cantará esa noche. Músicos que tocam no Hollywood Bowl, na próxima semana terá o apoio do baterista Brian Blade e pianista Jon Cowherd em um repertório de músicas gravadas por Joni Mitchell que, não sem ambargo cantar naquela noite.
FONTE NOTICIASJAZZ.BLGSPOT.COM
------------ ------------

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

CHICAGO REVERENCIA VON FREEMAN


Este ano, o país foi lembrado de que Chicagoans já sabem há décadas: Saxofonista Von Freeman é um tesouro jazz. Recently named a National Endowment for the Arts Jazz Master, Freeman (who turns 88 this fall) finally received due recognition for his powerful, inventive approach and his generous ongoing mentorship. Nomeado recentemente um Fundo Nacional para o Mestre Jazz Arts, Freeman (que gira 88 esta queda), finalmente recebeu o devido reconhecimento por sua abordagem, poderoso inventivo e sua orientação generosa em curso. So Chicago fittingly brought the celebration back home with this heartfelt tribute as the opening night to the Made In Chicago: World Class Jazz series at Millennium Park's Jay Pritzker Pavilion on July 28. Então Chicago fittingly trouxe de volta para casa celebração com esta homenagem sincera como a noite de abertura do Made In Chicago: Série Jazz Classe Mundial na Jay Millennium Park de Pritzker Pavilion em 28 de julho.
Unfortunately, Freeman was unable to attend the tribute due to recent health concerns. Infelizmente, Freeman não pôde comparecer à homenagem, devido a preocupações de saúde recente. A large cardboard cut-out of Freeman was placed onstage—Chicago Mayor Rahm Emanuel stood respectfully next to it as he introduced the event. Um papelão cortado de Freeman foi colocado no palco-prefeito de Chicago, Rahm Emanuel ficou respeitosamente ao lado dele quando ele apresentou o evento. But it was the generations of the saxophone master's students who best represented him. Mas foi a gerações de estudantes do mestre do saxofone que melhor o representou.
The concert reaffirmed how wide Freeman's influence has been during his multiple decades in music. O concerto reafirmou como grande influência Freeman foi durante suas décadas múltiplas na música. Tenor saxophonist Eric Alexander recreated the fast bebop runs—combined with classic swing heft—that have made Freeman so important to adherents of traditional jazz. O saxofonista tenor Eric Alexander recriou o bebop corre rápido, combinado com balanço clássico heft-que fizeram Freeman tão importante para os adeptos do jazz tradicional. Then Alexander traded lines with alto player Steve Coleman, who featured the modal phrases and unpredictable pauses that Freeman had shown to legions of this city's avant-garde followers. Então Alexander negociadas linhas com alto jogador Steve Coleman, que apresentou as frases modal e imprevisível pausas que Freeman tinha mostrado para legiões de desta cidade avant-garde seguidores. What made it all blend so well were that they used Freeman's underrated compositions as their template. O que fez tudo mistura tão bem que eles foram usados ​​composições underrated Freeman como sua modelo. Trombonist Julian Priester reveled in the unusual tempo shifts in the gentle ballad “Portrait Of John Young” (from Freeman's great 1972 Atlantic album, Doin' It Right Now ). Trombonista Julian Priester se deliciava com o ritmo incomum mudanças na delicada balada "Retrato de John Young" (de grande Freeman álbum Atlantic 1972, Doin 'It Right Now).
Freeman's rhythm section from the (temporarily shuttered) New Apartment Lounge also provided a solid base for these different stylistic approaches. Seção de Freeman ritmo do (temporariamente fechado) Lounge Apartamento Novo também forneceu uma base sólida para estas diferentes abordagens estilísticas. Guitarist Mike Allemana, drummer Michael Raynor and bassist Matt Ferguson also constructed a new piece based on the slow blues numbers that their mentor created every Tuesday night. O guitarrista Mike Allemana, o baterista Michael Raynor eo baixista Matt Ferguson também construiu uma nova peça com base nos números de blues lento que seu mentor criados a cada noite de terça. And like a New Apartment Lounge session, distinguished guests walked onstage to jam, including trumpeter Art Hoyle, as well as pianists Jodie Christian and Willie Pickens. E como uma nova sessão Apartamento Lounge, convidados ilustres entrou no palco para tocar, incluindo o trompetista Art Hoyle, assim como Jodie pianistas cristã e Pickens Willie. But the most inspiring guests were the young musicians who came onstage at the close for an upbeat “Billie's Bounce”—proving that Freeman's inspiration will continue well into the 21st century. Mas os convidados mais inspiradoras foram os jovens músicos que subiu ao palco no encerramento de um upbeat "Bounce Billie", provando que a inspiração Freeman vai continuar até o século 21.
Future concerts at the Thursday night series at the Pritzker include Ryan Cohen and Geof Bradfield's African Journeys (Aug. 11), Howard Levy (Aug. 18), Corey Wilkes celebrating Miles Davis and Roy Eldridge (Aug. 25) and Randy Weston with the Chicago Jazz Ensemble (Sept. 1). Concertos futuro na noite de quinta série ao Pritzker incluem Ryan Cohen e Journeys Africano Geof Bradfield (11 de agosto), Howard Levy (18 de agosto), Corey Wilkes celebrando Miles Davis e Roy Eldridge (25 de agosto) e Randy Weston com a Chicago Jazz Ensemble (01 de setembro). The Weston concert also marks the opening night of the Chicago Jazz Festival.Aaron Cohen O show também marca o Weston noite de abertura do Festival de Jazz de Chicago. - Aaron Cohen

Steve Coleman (right) and Eric Alexander at the Von Freeman Tribute in Chicago's Millenium Park (Photo: Michael Jackson) Steve Coleman (direita) e Eric Alexander Von Freeman no Tribute no Millenium Park de Chicago (Foto: Michael Jackson)

NA INGLATERRA ALGUNS CLUBES DE JAZZ FECHAM POR PRECAUÇÃO

RESUMO:

Clubes de jazz afectados por desórdenes callejeros . Clubes de jazz afetadas por distúrbios.
La violencia callejera que ha afectado a ciudades de la Gran Bretaña Violência de rua tem afetado cidades da Grã-Bretanha ha tenido su impacto también en clubes de jazz. teve um impacto também em clubes de jazz. En el distrito de Dalston, norte de Londres, los clubes de jazz Vortex y Cafe Oto tuvieron que cerrar sus puertas en las últimas noches como medida de precaución ordenada por la policía. No distrito de Dalston, Londres norte, clubes de jazz Vortex e Oto Café teve que fechar suas portas na últimas noites como medida de precaução ordenado pela polícia. El Pizza Express Jazz Club , en el Soho de Londres, donde tocan regularmente músicos internacionales, cerró por una noche. O Clube de Jazz Pizza Express no Soho, em Londres, onde os músicos internacionais jogar regularmente, fechado para a noite. Lo mismo ocurrió con el club Band On The Wall , de la ciudad de Manchester. O mesmo aconteceu com a Banda Club On The Wall, a cidade de Manchester. Anoche hubo calma y posiblemente estos establecimientos puedan abrir sus puertas durante el fin de semana. A noite passada foi calma e, possivelmente, estes estabelecimentos a abrir suas portas durante o fim de semana.