terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Wynton Marsalis & Jazz at Lincoln Center Orchestra - XIV Festival de Jaz...

Chick Corea Jazz at Lincoln Center Orchestra

domingo, 29 de dezembro de 2013

Stan Getz and Chet Baker "Just Friends" 1983

Joe Henderson - Night And Day

Freddie Hubbard with Cedar Walton Trio / Misty (1986)

Freddie Hubbard with Cedar Walton Trio / Misty (1986)

Chick Corea Akoustic Band - My one and only love 4/5

CHICK COREA AKOUSTIC BAND - ON GREEN DOLPHIN STREET

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

NEW ORLEANS ALL STARS de 10 a 21 de dezembro no Bourbon Street


 
 
Eleito recentemente pela revista Veja São Paulo como o melhor bar de música ao vivo, o Bourbon Street Music Club comemora 20 anos, em dezembro. Inspirado nos bares de New Orleans, ao longo de sua história, o clube sempre trouxe para o Brasil alguns dos maiores músicos da cidade.
 
Para comemorar esta data tão especial, o Bourbon Street resolveu reunir em um mesmo grupo alguns dos músicos mais requisitados da cena musical de New Orleans e que fizeram parte da trajetória de sucesso do bar com suas respectivas bandas, uma verdadeira banda de All Stars. Essa programação especial acontecerá nos dias 10,11, 14 e de 17 a 21 de dezembro.
 
New Orleans All Stars terá como base Tony Hall (baixo e vocais), Raymond Weber (bateria e vocais), Kenny Brown (guitarra),  Kurt Brunus (teclados, trompete e vocais) e Alex Frontera ( teclados). As cantoras Erica Falls, Lanita Wise e Gary Brown (sax e vocais) se revesarão no palco ao longo do show. No repertório, clássicos do R&B e Soul interpretados por cada um deles em seus cds e prestigiosas carreiras individuais.
 
 
Elenco
 
TONY HALL:Considerado pelos críticos um dos melhores baixistas do mundo, Tony Hall é o grande mago do instrumento em New Orleans. Começou sua carreira aos 10 anos, em 1968, tocando bateria na banda do avô Gus Fontenette. Em 1980, juntou-se ao The Meters Band como baixista e vocalista, abrindo shows dos Rolling Stones. Tocou também ao lado dos mais diferentes artistas como: Bob Dylan, Harry Connick Jr., Stevie Wonder, B.B. King, Wynton Marsalis, George Clinton, Neville Brothers, Carlos Santana, Dave Matthews e Anita Baker, entre outros.
 
GARY BROWN: por mais de 20 anos tocou no 544 Club, uma das mais prestigiadas casas noturnas da Bourbon Street, de New Orleans. Seu trabalho é centrado nos vários ritmos da música negra: jazz, blues, funk, soul e rhytm & blues - passando pelo reggae e o gospel. Estudou na escola de saxofonistas do lendário Edward “Kid” Jordan, seu grande mentor. Tocou com grandes nomes da música internacional como Otis Redding, Professor Longhair, Marvin Gaye, Dr. John e The Neville Brothers. Além dos shows, tocou em álbuns de Wilson Pickett, Dionne Warwick, Joe Cocker e Bee Gees.
 
ERICA FALLS: Essa legítima representante de New Orleans mostra a força de sua performance carismática, que já rodou mundo ao lado nomes como:Joe Sample, Sting, No Doubt, Irma Thomas, Allen Toussaint e em festivais e clubes de jazz e de black music de renome, como o New Orleans Jazz & Heritage Festival, o Umbria Jazz Festival, na Itália, Lionel Hampton Jazz Club, em Paris, Port Jazz Festival, da Finlândia, entre outros.
 
LANITA WISE: Uma das vozes do poderoso trio vocal Mahogany Blue, entrou em contato com a música ainda jovem, cantando gospel na igreja. Ao lado do trio, excursionou pelo mundo se apresentado em nightclubs e fazendo shows de abertura para artistas como Tina Turner, Sting e Toto. Também foi backing vocal de Bruce Willis nos shows de abertura de seus restaurantes Planet Hollywood pelo mundo.
 
KURT BRUNUS: Nascido de uma família de músicos em Los Angeles, Kurt mudou-se para New Orleans ainda pequeno, onde pôde conviver e aprender com os mais diversos estilos musicais. Iniciou seus estudos no piano aos quatro anos de idade. Com o aprimoramento do seu talento eum grande interesse por diversos instrumentos, Kurt aprendeu sozinho a tocar guitarra, trompete, clarineta, corneta, percussão, saxofone, baixo e violino. Cantor, produtor, compositor e arranjador, hoje, concentra seus dotes nos teclados, no trompete e nos vocais. Seu nome já figurou ao lado de grandes artistas como: The Temptations, Wynton Marsalis, George Benson, Nicholas Payton, Aaron Neville e Zigaboo Modeliste.
 
RAYMOND WEBER: Atual baterista de Dr. John, já tocou com praticamente quase todos os grandes nomes de New Orleans, de Fats Domino a Aaron Neville, passando por Harry Connick Jr. e Irma Thomas. Um dos mais requisitados bateristas locais, tem um estilo muito marcante na sonoridade funky/jazz de sua cidade natal. Junto com Ivan Neville e Tony Hall, fundou o Dumpstafunk, que traz a tradição do “fonk” de New Orleans, estilo criado e perpetuado pelos lendários Meters e Neville Brothers. Também participou da mundialmente famosa série de TV Treme.
 
KENNY BROWN: Kenny Brown nasceu em New Orleans onde começou a tocar baixo na igreja aos 8 anos de idade. Guitarrista e cantor, com influências do jazz, do blues e do soul, Kenny é um típico exemplo da miscelânea de referências culturais da cidade do jazz e do blues. Já tocou com artistas de peso como os Neville Brothers, Bobby Womack, Beau Jones, além de ter participado de Jam Sessions com Slash (guitarrista dos Guns`n`Roses) e Stevie Ray Vaughan, em suas apresentações no 544 Club. Veio ao Brasil pela primeira vez acompanhando o saxofonista Gary Brown, seu tio e padrinho musical e se apaixonou pela energia local.
 
ALEX FRONTERA: Para reforçar a banda de New Orleans e incrementar suas diversas sonoridades, foi chamado o tecladista Alex Frontera, conhecido como “Spaguetti”, que é especialista em black music no Brasil, já tendo tocado com Billy Paul, Glória Gaynor e Kenny e Gary Brown.
 
No repertório, além dos clássicos do soul, R&B, funk e blues, o melhor da música de New Orleans.
 
FICHA TÉCNICA:
 
Tony Hall: baixo e vocais
Gary Brown: sax e vocais
Erica Falls: vocais
Lanita Wise: Vocais
Kurt Brunus: teclados, trompete e vocais
Raymond Weber: bateria e vocais
Kenny Brown: guitarra
Alex Frontera: teclados
 
Serviço 
 
Local: Bourbon Street | Rua Dos Chanés, 127 – Moema – SP
Bilheteria Bourbon Street: Rua dos Chanés 194 – de 2ªf.a 6ª.f das 9h às 20h, sábado e feriado das 14h às 20h
Fone para reserva: (11) 5095-6100 (Seg. a sexta) das 10h às 18h
**** Venda também pela Ingresso rápido - 11 4003 1212 - www.ingressorapido.com.br
 
Datas : 10 e 11/12/2013 – terça-feira e quarta-feira
Horário: 22h00
Abertura da casa: 20h
Duração: 90 min. aproximadamente
Couvert Artistico: R$ 60,00
 
Data: 14/12/2013 - sábado
Horário: 00h00
Abertura da casa: 21h
Duração: 90 min. aproximadamente
Couvert Artistico: R$ 75,00
  
Datas: 17 e 18/12/2013 – terça-feira e quarta-feira
Horário: 22h00
Abertura da casa: 20h
Duração: 90 min. aproximadamente
Couvert Artistico: R$ 65,00
  
Datas: 19, 20 e 21/12/2013 – quinta-feira, sexta-feira e sábado
Horários: 23h30 (quinta-feira); 00h00 sexta-feira e sábado
Abertura da casa: 21h
Duração: 90 min. aproximadamente
Couvert Artistico: R$ 65,00(terça e quarta-feira); R$ 70,00(quinta-feira); R$ 75,00 (sexta-feira e sábado)
 
 
Censura: 18 anos e 16 anos acompanhado de responsável
Capacidade: 400 pessoas
Estacionamento/ Valet: R$ 20,00
Aceita todos os cartões de débito e crédito.
Acesso para deficientes.
Ar condicionado.
 
Assessoria de imprensa
Maria Inês Costa maic@maic.com.br
11 99237.8666/ 3277.8763

MORRE AOS 83 ANOS O GUITARRISTA JIM HALL

Seis dias depois de seu aniversário, um dos gigantes mais influentes, criativas e admiradas de guitarra jazz, Jim Hall , morreu aos 83 alos de idade, depois de uma vida musical longa, extraordinário e incansável, em que ele permaneceu ativo até seus últimos dias.


Desde o início de sua carreira nos anos 50,Jim Hall mostrou não só virtuosismo e criatividade, mas que era para ser convertido em um dos guitarristas do jazz menos previsíveis e exploratórios. Muitos atribuem que foram "modernizados" o papel de seu instrumento no jazz e ampliou seu vocabulário a profundidades quase orquestrais. No entanto, um de seus méritos artísticos é que ele nunca ostentou sua técnica improvisada sozinho, mas procurou criar belas frases melódicas, bem como inovador. Municipal também tem sido elogiada como compositor e arranjador.





Sua família era musical. Sua mãe tocava piano, violino e violão de seu avô de seu tio, que era o instrumento que ele gostava jovem Jim, que começou a jogar aos 10 anos de idade. Como um adolescente jogou profissionalmente em Cleveland, cidade onde também estudou piano, baixo e teoria musical, além de guitarra. Logo, ele se mudou para Los Angeles, onde o estilo "era proeminente legal ", no entanto concentrada na guitarra clássica entre 1955 e 56. Quando ele começou a ser conhecido no jazz prestes a aderir àChico Hamilton.

foi o famoso grupo " legal " The Jimmy Giuffre Três Salão onde começou a desenvolver a sua própria personalidade musical como sua carreira finalmente decolou. Naqueles dias, apesar de já estar ensinando, excursionou com " Jazz At The Phuilharmonic ", organizado pela Norman Granz, e tocou com estrelas como Ben Webster, Bill Evans, Paul Desmond, Ella Fitzgerald, Lee Konitz, Sonny Rollins e Art Farmer , entre outros, que deixou innumerablñes gravado álbuns.


Na década de 60, e em Nova York, Jim Hallorganizou um trio com Tommy Flanagan e Ron Carter , a quem ele substituiu com Red Mitchellalguns anos depois. Ele também tocou e arranjou a música para programas de televisão nos dias de hoje. Daquele tempo Salão jogado com mais e mais contemporâneos músicos que surgiram na cena do jazz, incluindo Wayne Shorter, Chris Potter, Michel Petrucciani e Bill Frisell . Ele apresentou festivais de jazz em Nova York, incluindo os guitarristas  Pat Metheny e John Scofield, com quem também jogou. Ele gravou álbuns solo desde o quinteto final dos anos 90 estava brincando com Joe Lovano . Ele continuou a participar em festivais de jazz, até recentemente, e sua última gravação feita em 2008. Iniciando Young disse que tinha sido incluenciado por tenoristas como Lester Young e Coleman Hawkins e os guitarristas Charlie Christian e Barney Kessell , antes de desenvolver o seu selo musical próprio. Para muitos a sua maior influência exercida sobre os guitarristas John Scofield, Bill Frisell, Pat Metheny, John Abercrombie e Mick Goodrick. foto à direita joga com o Jazz At Lincoln Orquestra Centrodirigido por Wynton Marsalis . Jim Hall morreu durante o sono em sua casa em Nova York. Ele deixou gravado cerca de 100 álbuns, 48 deles como líder NOTICIASJAZZ,BLOGSPOT.COM

domingo, 24 de novembro de 2013

LAPA JAZZ FESTIVAL

LAPA JAZZ FESTIVAL

Lapa Jazz Festival

Pó de Café Quarteto, Azymuth (convidado: Zé Carlos Bigorna) e Léo Gandelman (convidado: Serginho Trombone)
quinta-feira, 28 de Novembro

Lapa Jazz Festival

Nova Lapa Jazz e Banda Ouro Negro
quinta-feira, 5 de Dezembro

Lapa Jazz Festival

Alma Thomas,Spok Quinteto e The Ipanemas
quinta-feira, 12 de Dezembro

"JAZZ IN HAVANA TOURS" DURANTE 8 MESES DE 2013 Y 2014




Tal como se hizo el año pasado, la revista estadounidense JazzTimes en asociación con Insight Cuba anunciaron las fechas para los próximos tours de 5 días cada uno, llamados "Jazz In Havana". Se realizarán durante 8 meses hasta junio de 2014.

Insight Cuba es la principal organización que provee viajes a Cuba autorizados por el gobierno de EEUU desde que se levantaran algunas restricciones que anteriormente afectaban a ciudadanos estadounidenses.

En estos tours los visitantes tienen la oportunidad de escuchar y conocer personalmente al cúmulo de músicos de jazz que hay en Cuba, de todas las generaciones, pero principalmente jóvenes. En La Habana hay varios clubes de jazz de fama internacional y otros lugares donde se presentan los músicos cubanos y donde se realizan "descargas" (o jam sessions) a altas horas de la noche.


 Los "Jazz In Havana Tours" se organizan aparte de aquellos destinados al famoso "Festival Internacional de Jazz de La Habana", organizado, entre otros, por el pianista Chucho Valdés, cuya 29 edición se llevará a efecto entre el 15 y el 23 de diciembre de 2013, en la que, como es ya tradición, este año participarán grandes estrellas internacionales y cubanas del jazz.NOTICIASJAZZBLOGSPOT.COM


RAVI COLTRANE COMEÇA EXCURSÃO PELA AMERICA DO SUL

RAVI COLTRANE COMIENZA HOY GIRA SUDAMERICANA


El saxofonista Ravi Coltrane comienza hoy sus presentaciones programadas para Brasil y Chile.  Esta noche toca con su grupo integrado porDavid Virelles, Hans Glawichnig y Johnathan Blake en el Parque Getulio Vargas, Canoas, Brasil. El martes 26 jo harán en SESC Balenzinho, Sao Paulo; y el miércoles 27 en ese mismo lugar. 

De ahí viajarán a Chile para ofrecer un concierto con el mismo cuarteto, el viernes 29, en elFestival de Jazz de San Bernardo, en la perisferia de la capital, Santiago, desde donde se dirigirán a Nueva York para una corta temporada en el famoso club Village Vanguard.

Tanto en Brasil como en Chile, Coltrane tomará parte en "jam sessions" y otras actividades musicales con músicos locales, al margen de los conciertos oficiales. 


Ravi Coltrane (hijo de los célebres John y Alice) ha forjado por sus propios méritos una sólida carrera muscal integrando y dirigiendo diversas bandas (entre otras, Joe Lovano le ha incluído en los "Saxophone Summits"). Tiene a su haber siete álbumes bajo su nombre (como líder) y 37 como integrante de otros grupos NOTICIASJAZZ.BLOCSPOT.COM,

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

LOU DONALSON - BLUES WALK


BAIXADA JAZZ BIG BAND & INDIANA NOMMA YOU ARE SUNSHINE OF MY LIFE


JAZZ EN GRANADA


 



Se está realizando elXXXIV Festival de Jazz de Granada, uno de los más antiguos e importantes de España y el único de ese país que pertenece a la Red de jazz europea (European Jazz Network). Este evento, que finaliza el 15 de noviembre, se realiza en el mismo período delFestival de Jazz de Londres y algunos de los músicos internacionales viajan de uno a otro. 

Entre las grandes figuras que toman parte en Granada se destacan este año Christian Scott (f) , Dr Lonnie Smith, China Moses y Raphael Lemonnier, Eric Alexander, Chano Domínguez, Jazz Entre Amigos y Orquesta de Ida y Vuelta, entre otros.

 
Esto, aparte de un buen número de músicos españoles que actúan en "Jazz en Cajagranada", "Jazz en la calle" y "Jazz en la provincia".


Hay también "Trasnoches de jazz" en cerca de una decena de lugares, así como jam sessions, talleres y clases magistrales. 

ELIANE ELIAS E GONZALO RUBALCABA JUNTOS NA FRANÇA

ELIANE ELIAS Y GONZALO RUBALCABA JUNTOS EN FRANCIA




En un mes de mucha actividad de jazz en Europa en general, el  aclamado pianista cubanoGozalo Rubalcaba y la vocalista-pianista brasileña Eliane Elias tocaron anoche en una misma presentación, pero en conciertos separados, en L´Apostrophe - Theatre des Louvrais, en una presentación doble.


Gonzalo Rubalcaba viene de tocar en Berlín y ahora seguirá a Eslovaquia y Lituania para seguir a Estasburgo, Varsovia y Alemania.


Eliane Elías este mes ha estado presentándose en Nueva York, Miami y Zaragoza, y seguirá camino de Polonia e Italia. 




------------noticiasjazz.blogspot.com 

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Junkie Box clássicos da disc music dias 22 e 23 de novembro no Bourbon Street

J
 
A Junkie Box está entre as melhores bandas da disco music e do repertório  top do dia a dia das FM´s, animando a pista do Bourbon Street Music Club. Entre outros estão sucessos de “Bee Gees”, “Abba” e “J. Quest”.
Serviço 
 Local: Bourbon Street | Rua Dos Chanés, 127 – Moema – SP
Bilheteria Bourbon Street: Rua dos Chanés 194 – de 2ªf.a 6ª.f das 9h às 20h, sábado e feriado das 14h às 20h
Fone para reserva: (11) 5095-6100 (Seg. a sexta) das 10h às 18h
 
Data : 22 e 23 /11/2013 – sexta-feira e sábado
Horário: 00h00
Abertura da casa:  21h.
Duração: 90 min. aproximadamente
Couvert Artistico: R$ 55,00( sexta) e R$ 65,00(sábado)
Venda também pela Ingresso rápido - 11 4003 1212 - www.ingressorapido.com.br
Censura: 18 anos e 16 anos acompanhado de responsável
Capacidade: 400 pessoas
Estacionamento/ Valet: R$ 20,00
Aceita todos os cartões de débito e crédito.
Acesso para deficientes.
Ar condicionado.
Wi-Fi – solicitar senha na casa
 
A casa
O Bourbon Street Music Club, considerada pela revista Veja Comer e Beber 2013 como a Melhor Casa de Música ao Vivo, e pela americana Downbeat, dentre as melhores casas de jazz do mundo, também é uma das melhores opções para se dançar.
De quinta a domingo a pista do Bourbon Street acolhe um público adulto, acima de 25 anos, para dançar ao som das melhores bandas e variados estilos, que vão do funk, black, disco/flash back dos anos 60 aos 90, passando pelos ritmos latimos como a salsa e merenge.
A casa está entre as boas escolhas para quem quer a comodidade de encontrar num só endereço, uma noite completa. O line up varia entre shows de nomes nacionais e internacionais, com repertório eclético, sempre de qualidade, muitos focando o jazz, blues, soul, mas também a música nacional na apresentação de projetos, como o Na Roda, Jazz. Br, entre outros.
As opções do cardápio vão desde os drinks exclusivos, caso do Hurricane, run oro, hurricane mix ( mix de frutas vindo de New Orleans), suco de limão e açúcar, ou o Mojito, cervejas, chopp e uma boa carta de vinhos, que acompanham a seleção de petiscos especiais, como o Sweet Poison – pasteizinhos especiais, recheados de queijo brie, acompanhados de chutney de frutas vermelhas. Como sugestão de jantar, quem quiser continuar desfrutando da cozinha com influência créole e cajun, não pode deixar de provar o Jambalaya, uma paella típica de New Orleans, com camarão, frango e linguiça, temperada à moda créole.
A casa funciona de terça a domingo, tem capacidade para 400 pessoas, o couvert artístico varia conforme a atração. Possui serviço de manobrista.

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

SONNY ROLLINS BLUE SEVEN 1956


ABBEY ROAD dia 19 de novembro no Bourbon Street

ABBEY ROAD
dia   19   de novembro
no    Bourbon Street
 
 
Véspera de feriado revival
Beatles Abbey Road, não se trata de um simples cover, mas sim de um espetáculo cênico musical, que descreve com fidelidade toda trajetória da maior banda de todos os tempos - The Beatles. Destacam-se também pelo fiel comportamento no palco. Trejeitos, tics e manias dos garotos de Liverpool completam o quadro. Com 20 anos de estrada, Abbey Road se tornou a banda “Beatles Official Brazil”.
Serviço 
 
Local: Bourbon Street | Rua Dos Chanés, 127 – Moema – SP
Bilheteria Bourbon Street: Rua dos Chanés 194 – de 2ªf.a 6ª.f das 9h às 20h, sábado e feriado das 14h às 20h
Fone para reserva: (11) 5095-6100 (Seg. a sexta) das 10h às 18h
 
Data : 19/11/2013 – terça-feira
Horário: 22h30
Abertura da casa: 21h
Duração: 80 min. aproximadamente
Couvert Artistico: R$ 60,00
Venda também pela Ingresso rápido - 11 4003 1212 - www.ingressorapido.com.br
Censura: 18 anos e 16 anos acompanhado de responsável
Capacidade: 400 pessoas
Estacionamento/ Valet: R$ 20,00
Aceita todos os cartões de débito e crédito.
Acesso para deficientes.
Ar condicionado.
Wi-fi ( solicitar senha na casa)
 
BEATLES ABBEY ROAD
Se você não teve a oportunidade de ver os FabFour no início da carreira, tocando pelos inférninhos de Liverpool e Hamburgo, ou não esteve no auditório de algum Ed Sullivan Show no auge da Beatlemania, a sua chance de fazer uma viagem aos anos 60 e ter uma ideia de como era estar cara a cara com os reis do iê – iê – iê é assistindo à performance do grupo BEATLES ABBEY ROAD.
Mais uma banda de Beatles cover? Até pode ser, afinal elas existem aos montes por ai, e algumas são realmente muito boas. Mas assistindo a uma apresentação do ABBEY ROAD você vai entender como e porque o grupo consegue se destacar, recriando a atmosfera da época com seus terninhos de tecido inglês, suas botinhas confeccionadas por Mr. Green, o mesmo artesão que fabricava para osBeatles, anéis, pulseiras, relógios, instrumentos raros e principalmente, competência musical.
Não foi por acaso que a cidade natal dos rapazes ingleses se rendeu ao talento dos rapazes de São Paulo. O sonho pode ter acabado, mas a Beatlemania não tem fim.
Mais de 2 milhões de pessoas em todo Brasil e no exterior já assistiram e constataram porque o ABBEY ROAD com “ 1 milhão de cópias vendidas” foi considerado na Inglaterra por três anos consecutivos como a melhor banda de Beatles do mundo.
Conhecendo este trabalho, afirmou George Martin, o famoso produtor dos 4 cabeludos:
“Não É Cover, É Beatles!”
 
 

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

LECTORES DE REVISTA DOWN BEAT SE PRONUNCIAN




La edición digital de diciembre de la revista Down Beat ha publicado la lista completa de los ganadores 2013 en la encuesta mundial que dicha publicación hace a sus lectores anualmente.


Hace unos días informamos que los músicos que más se destacan este año son Wayne Shorter, quien  --en un hecho que no tiene precedentes-- ganó cinco categorías, y Pat Metheny quien fue elegido para ingresar a la "Galería de la Fama", además de ganar la categoría "Guitarrista del año".


Shorter obtuvo el primer puesto en las siguientes categorías: artista de jazz del año, mejor álbum del año (Without A Net),grupo de jazz del año (cuarteto), saxofonista soprano del año y compositor del año.


La Jazz At Lincoln Center Orchestra ganó en la categoría big bands, y su director, Wynton Marsalis, obtuvo el primer lugar en la de trompetistas.

Los siguientes son los resultados en todas las categorías (sólamente incluímos el nombre de la primera persona en cada una de ellas, por razones de espacio):

Hall of Fame:  Pat Metheny
Artista de jazz:  Wayne Shorter
Grupo de jazz:  Wayne Shorter Quartet
Big Band:  Jazz At Lincoln Center Orchestra
Trompeta: Wynton Marsalis
Trombón. Trombone Shorty
Saxo soprano:  Wayne Shorter
Saxo alto:  Kenny Garrett
Saxo tenor:  Sonny Rollins
Saxo barítono:  Gary Smulyan
Clarinete:  Anat Cohen
Flauta:  Hubert Laws
Piano:  Keith Jarrett
Teclados:  Herbie Hancock
Órgano:  Joey DeFrancesco
Guitarra:  Pat Metheny 
Contrabajo:  Christian McBride
Bajo eléctrico:  Stanley Clarke
Violín:  Regina Carter
Batería:  Jack DeJohnette
Vibráfono:  Gary Burton
Percusión:  Poncho Sámchez
Misceláneos:  Bela Fleck (banjo)
Vocalista femenina:  Diana Krall
Vocalista masculino:  Kurt Elling
Compositor:  Wayne Shorter
Arreglista:  María Schneider
Álbum histórico:  Miles Davis Quintet, Live In Europe 1969 
Sello disquero:   Blue Note
Artista de blues:   B.B. King