sábado, 29 de setembro de 2012

PARIS REUNION BAND - FRENCH COOKING

http://depositfiles.com/files/r6w5irmze01 - Klook’s Theme
02 - Sweet Love Of Mine
03 - The Burner
04 - Waltz
05 - Callitwhachawanna

LINEUP
Woody Shaw - trumpet
Dizzy Reece - trumpet
Johnny Griffin - tenor sax
Nathan Davis - tenor and soprano sax, flute
Slide Hampton - trombone
Kenny Drew - piano
Jimmy Woode - bass
Billy Brooks - drums
Recording at Sonet Studios, Stockholm, Sweden (07/03/1985)

OSCAR PETERSON TRIO COM RAY BROWN ED THIGPEN

http://depositfiles.com/files/r6w5irmze

TIA FULLER, ÁNGEL Y GUERRERA

TIA FULLER, ÁNGEL Y GUERRERA  

La aclamada saxofonista, educadora y compositora de jazzTia Fuller ha lanzado su último álbum titulado Angelic Warrior ("Guerrera angelical") que, según la crítica, "tiene más armas que alas".
Es un disco de alta producción tecnológica y alta calidad musical en cuya preparación técnica de sonido estuvo involucrada la propia Tia Fuller y que incluye a algunos de los grandes del jazz actual, tales como la pianistaShamie Royston(hermana mayor de Tia, casada con el baterista Ruddy Royston),  el contrabajista John Patitucci tocando guitarra, la contrabajista Mimi Jones, la baterista Terri Lynne Carringtony una aptamente misteriosa voz de Dianne Reeves en el tema Body And Soul. En este álbum Tia Fuller toca saxos alto y soprano.
Esta célebre saxofonista se dio a conocer en uno de los conjuntos de Esperanza Spalding, pero su fama mundial  --más allá del jazz-- la obtuvo en los años que pasó en la banda derythm & blues "Beyoncé". Además de sus propios conjuntos y de BeyoncéTia Fuller ha tocado regularmente, entre otras, con las agrupaciones de T.S. Monk, Ralph Peterson, John Faddis, Rufus Reid, Sean Jones y Nancy Wilson.
Angelic Warrior es su cuarto álbum como líder, pero ha grabado otros ocho como miembro de diversos artistas.

-lanzado su último álbum titulado Angelic Warrior ("Guerrera angelical") que, según la crítica, "tiene más armas que alas".
Es un disco de alta producción tecnológica y alta calidad musical en cuya preparación técnica de sonido estuvo involucrada la propia Tia Fuller y que incluye a algunos de los grandes del jazz actual, tales como la pianistaShamie Royston(hermana mayor de Tia, casada con el baterista Ruddy Royston),  el contrabajista John Patitucci tocando guitarra, la contrabajista Mimi Jones, la baterista Terri Lynne Carringtony una aptamente misteriosa voz de Dianne Reeves en el tema Body And Soul. En este álbum Tia Fuller toca saxos alto y soprano.
Esta célebre saxofonista se dio a conocer en uno de los conjuntos de Esperanza Spalding, pero su fama mundial  --más allá del jazz-- la obtuvo en los años que pasó en la banda derythm & blues "Beyoncé". Además de sus propios conjuntos y de BeyoncéTia Fuller ha tocado regularmente, entre otras, con las agrupaciones de T.S. Monk, Ralph Peterson, John Faddis, Rufus Reid, Sean Jones y Nancy Wilson.
Angelic Warrior es su cuarto álbum como líder, pero ha grabado otros ocho como miembro de diversos artistas.

------------NOTICIASJAZZ.BLOGSPOT.COM

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

21 ANOS SEM MILES DAVIS


Hoy es el 21 aniversario de la muerte del genial trompetista, compositor y pionero, Miles Davis, quien comenzó tocando be-bop antes de cumplir los 20 años de edad, con Charlie Parker entre otros, para pasar luego a ser pionero del cool, del post-bop, del  jazz modal y del jazz fusión, con el correr del tiempo.
Davis jamás se atascó en un solo estilo y siempre estuvo adelantándose a su época, abriendo nuevos caminos para el jazz. Su asociación conGil Evans, tanto en el nacimiento del cool, como posteriormente con la orquesta grande de éste, fue una de las más fértiles de la historia del jazz. Varios de sus quintetos y sextetos son hoy legendarios. Su discografía es una de las más voluminosas de este género y hoy, 21 años después de su muerte, sus álbumes y colecciones de discos continúan vendiéndose en cantidades impresionantes. Uno de sus álbumes históricos en muchos sentidos, Kind Of Blue, posee el record de ser el disco más vendido en toda la historia del jazz. Davis dejó un legado para este tipo de música tan grande como el de Louis Armstrong, Duke Ellington o Charlie Parker.

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

BATERISTA JAMISON ROSS GANA COMPETENCIATHELONIOUS MONK 2012



Otro músico joven a quien seguirle la pista en el futuro. El baterista de 24 años de edad, Jamison Ross, ha ganado la competencia anual "Thelonious Monk", en la actualidad una de las de mayor prestigio en los EEUU. Después de haber sido seleccionado entre los 12 finalistas (todos menores de 30 años), un jurado integrado por notables bateristas decidió otorgar el primer lugar a Ross, quien obtiene así una beca de 25.000 dólares y un contrato con el sello Concord Music. El segundo puesto lo obtuvo el baterista Justin Brown, de 28 años de edad. 
Esta competencia cumple 25 años y esta es la segunda vez que se realiza en la categoría "bateristas". Cada año compiten músicos en una clase diferente  de instrumentos.
La final se realizó en el Kennedy Center de Washington en un concierto de gala en el que tomaron parte, entre otros, Herbie Hancock, Gretchen Parlato, Wayne Shorter, Aretha Franklin, James Carter y Lee Ritenour.

"Lover Man"Sonny Stitt,Walter Bishop,Tommy Potter,Kenny Clarke.

Sonny Stitt JJ Johnson H. McGhee - Now's the Time

Sonny Stitt,Howard McGhee,JJ Johnson,Walter Bishop,Tommy Potter,Kenny Cl...

Bill Charlap at the Village Vanguard

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

OS MELHORES CDS PELA JAZZWEEK

DONALD VEGA SIGUE SUBIENDO

El pianista Donald Vega, quien entró vertiginosamente a la cartelera la semana pasada, sube esta semana del quinto al tercer lugar con su álbum Spiritual Nature. Continuan en los dos primeros puestos Bruce Barth y Joey DeFrancesco, mientras que Chick Corea/Gary Burtonsuben del octavo al cuarto lugar.

La siguiente es la decena que encabeza la cartelera de jazz deJazzWeek esta semana, abarcando estadísticas que cubren EEUU y Canadá:



01  Bruce Barth, Three Things Of Beauty
02  Joey DeFrancesco, Wonderful Wonderful
03  Donald Vega, Spiritual Nature
04  Chick Corea/Gary Burton, Hot House
05  Marcus Miller, Renaissance
06  Cheryl Bentyne, Let's Misbehave
07  Randy Crawford and Joe Sample, Live
08  Brubeck Brothers, Lifetimes
09  Roni Ben-Hur/Santi Debriano,Our Thing
10  Curtis Fuller, Down Home



Estos CDs --y cualesquiera otros--, así como sus tracks digitales, se pueden adquirir por correo o en MP3 haciendo click en el siguiente vínculo:
http://www.amazon.com/s/?tag=notidejazz-20&link_code=bsw&_encoding=UTF-8&search-alias=aps&field-keywords=jazz+CDs&Submit.x=10&Submit.y=9 

TERÇA FEIRA VINHOS E JAZZ COM CHARLES RIO TRIO


Terça feira 25/9  “Vinhos e Jazz”
Zot Gastrobar – Rua Bolivar, 21 – Tel 3489 4363
Charles Rio Trio com Tony Botelho e Cécile Taquoi
19:00h as 22:00h – couvert R$ 15,00

domingo, 23 de setembro de 2012

TRUMPET MASTERS Bern 1997 05 01

JAZZ PARA OBAMA EM OUTUBRO




El 9 de octubre se realizará un concierto de "all stars" de jazz en el Symphony Space de Manhattan, N.Y., a beneficio de la campaña presidencial del Presidente Barack Obama. Entre los músicos que tomarán parte se cuentan los "gigantes"  Ron Carter, Dee Dee Bridgewater, Jim Hall, Roy Haynes, Kenny Barron, Joe Lovano, Kenny Garrett, Christian McBride, Jimmy Heath, Jeff "Tain" Watts, Claudia Acuña, Ravi Coltrane, Gretchen Parlato y muchos otros artistas  destacados, además de invitados especiales.
Los fondos obtenidos a través de la venta de entradas irán a la campaña presidencial llamada "Obama For America".

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Benny Carter - All-Stars

PARA DANÇAR -HAVANA BRASIL - NA BOURBON STREET


música latina           23/09 - Havana Brasil
 
Banda conceitual, vigorosa, formada por músicos de primeiríssima linha, referência quando o assunto é música da América-Central, sem esquecer da nossa.Carrega uma legião de fãs da salsa, merengue, mambo, bolero, chá-chá-chá, samba e chorinho.
Local: Bourbon Street- Rua dos Chanés, 127 – Moema – fone  11 5095.6100
Data: 23/09/12 - domingo
Horário: 22h30
Bilheteria: Bilheterias: 2ª.f. a 6ª.f das 9h às 20h, sábado, domingo e feriado das 14h às 20h
Abertura da Casa:  21h
Couvert Artístico: R$ 32,00
Capacidade: 400 lugares
Censura: 18 anos - maior de 16 acompanhado de responsável
Formas pagamentos : cartões créditos todos e dinheiro
Estacionamento: R$ 120,00
Acesso deficientes
O Bourbon Street Music Club, casa reconhecida pela qualidade acústica e programação diferenciada, também é uma das melhores opções para se dançar.
De quinta a domingo a pista do Bourbon Street acolhe um público adulto, acima de 25 anos, para dançar ao som das melhores bandas e variados estilos, que vão do funk, black, disco/flash back dos anos 60 aos 90, passando pelos ritmos latimos como a salsa e merenge.
A casa está entre as boas escolhas para quem quer a comodidade de encontrar num só endereço, uma noite completa. O line up  varia entre shows de nomes nacionais e internacionais, com repertório eclético, sempre de qualidade, muitos focando o jazz, blues, soul, mas também a música nacional na apresentação de projetos, como o Na Roda, Jazz. Br, entre outros.
As opções do cardápio vão desde os drinks exclusivos, caso do Hurricanerun oro, hurricane mix ( mix de frutas vindo de New Orleans), suco de limão e açúcar,  ou o Mojito, cervejas, chopp e uma boa carta de vinhos, que acompanham a seleção de petiscos especiais, como o Sweet Poison – pasteizinhos especiais, recheados de queijo brie, acompanhados de chutney de frutas vermelhas. Como sugestão de jantar, quem quiser continuar desfrutando da cozinha com influência créole e cajun, não pode deixar de provar o Jambalaya, uma paella típica de New Orleans, com camarão, frango e linguiça, temperada à moda créole.
A casa funciona de terça a domingo, tem capacidade para 400 pessoas, o couvert artístico varia conforme a atração, possui serviço de manobrista.

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Lou Donaldson - Blues Walk (One night with Blue Note) [HQ]

II DOWNTOWN JAZZ FESTIVAL

O Festival:

O clima de New Orleans – referência mundial quando o assunto é jazz – vai invadir o Shopping Downtown. O evento acontecerá entre os dias 21 e 23 de setembro, sempre a partir das 18h30min, em sua praça central, num grande palco para receber o II Downtown Jazz Festival.

Com uma programação de qualidade, quem estiver pelas ruas do Downtown durante o evento, vai também aproveitar, um "lounge" especialmente montado para receber o público, com espumante à vontade. O Downtown firmou ainda, uma parceria especial com diversos bares e restaurantes para que, após as apresentações, os clientes possam aproveitar um cardápio especial, inspirado no Festival.

Na sexta-feira, dia 21, quem se apresentará será a cantora Taryn Spilzman, com o espetáculo “Negro Blue”. Taryn e seu quarteto prometem repetir o mesmo sucesso de sua apresentação na última edição do Rock in Rio, quando lançaram o CD que dá nome ao show.

No sábado, dia 22, será a noite em que o pianista Marvio Ciribelli levará ao público do Rio, músicas dos seus novos CDs "Autoral" e "Theo e Seu Tio Dez Anos Depois", além de outras de Chiquinha Gonzaga, Ernesto Nazareth, Tom Jobim, Carlos Lyra e Vinicius de Moraes e até um arranjo especial para a Ária "Habanera", de Carmem, de Bizet.

No dia 23, domingo, será a vez de Joel Ferreira, bandleader da banda residente do Maze Jazz Night, o único jazz club do país citado na mais importante revista do segmento o mundo, localizado na comunidade pacificada Tavares Bastos, no Catete.

Marvio Ciribelli Grupo:
Lançamento dos CDs "Autoral" e “Theo e seu Tio Dez Anos Depois”, no Rio de Janeiro

Após lançar seus novos CDs no Paraná, no Maringá Jazz Festival e em Minas Gerais, no Ibitipoca Jazz Festival e no Mauá Jazz, o pianista Marvio Ciribelli faz seu primeiro grande concerto, apresentando uma parte do repertório destes CDs para o público do Rio de Janeiro.

Em “Theo e seu Tio Dez Anos Depois”, Marvio Ciribelli mostra nova roupagem a músicas gravadas no ano 2000, no CD “Theo e seu Tio”. Ciribelli contextualizou arranjos, solos e mixagens, mostrando sua visão atual do trabalho. “Theo e seu Tio - Dez anos depois” tem a participação de músicos com destaque internacional, como o baterista Marcio Bahia, o saxofonista Marcelo Martins, o bandolinista Ronaldo do Bandolim, o trompetista Chiquinho Oliveira e o violonista e guitarrista Sérgio Chiavazzoli e, está saindo por seu próprio selo, “Mantra”, pelo qual Marvio Ciribelli já lançou 13 discos.

Em “Autoral”, Marvio Ciribelli junta 12 composições próprias, inclusive com fonogramas gravados no famoso Montreux Jazz Festival (Suiça), "aditivados" pela participação de talentosos músicos brasileiros como os trombonistas Fabiano Segalote, Jhonson de Almeida e Paulo Williams. "Autoral" está sendo lançado pelo selo “Niterói Discos” e também conta com os bateristas Rocyr Abbud e Guilherme Gonçalves, os percussionistas Dom Chacal e Sidinho Moreira e os baixistas Rogério Fernandes, Alex Malheiros, Tom Hubbard e Dudu Lima.

No repertório do concerto no Downtown Jazz Festival, Ciribelli vai apresentar suas composições Theo e seu Tio, Nazareth na Confraria, Mac Abbud Frevo, Mantra, Centro Avante e Mió di Bão, esta em parceria com o saxofonista Marcelo Martins; além de arranjos para Apanhei-te Cavaquinho e Brejeiro (Ernesto Nazareth), Habanera (da ópera Carmem, de Bizet), Sylvia (de Thijs Van Leer, do grupo holandês Focus) e O Corta Jaca (Chiquinha Gonzaga).

Banda de respeito:

Adalberto Miranda é um talento da nova geração de músicos brasileiros. Tendo acabado de completar 20 anos, Adalberto possui técnica e inventividade capaz de impressionar os jazzistas mais exigentes. Tocando os contrabaixos acústico e elétrico, Adalberto faz parte do grupo Cambapé Instrumental e já tocou com o pianista João Carlos Assis Brasil e Alvinho Santos (violonista de Alcione). Adalberto estudou contrabaixo acústico com Adriano Giffoni.

O trombonista Jhonson de Almeida toca com banda Black Rio e apresenta seu próprio trabalho no Circuito Cultural da Lapa, além de festivais  pelo Brasil.

Amaro Júnior, baterista autodidata, tocou com Pery Ribeiro, Marcio Lott, Osmar Milito e Toninho Horta. Hoje, Amaro faz parte da banda que acompanha Emílio Santiago.

Cadu Pontes faz uma participação especial tocando Zabumba e Cajon e liderando a bandinha que Ciribelli faz desfilar na platéia quando tocam o baião Mió de Bão.

SERVIÇO:
II Downtown Jazz Festival
Avenida das Américas, 500 – Praça Central
Dias 21, 22 e 23 de setembro, às 18h30min
Programação
Sexta-Feira: Taryn Spilzman
Sábado: Marvio Ciribelli
Domingo: Joel Ferreira
Entrada Franca
www.downtown.com.br

NESTA QUARTA JAZZ DO SOBRADO


FESTIVAL DE JAZZ BRASILIA

Horário: Confira na programação | Local: 10 0 13 Jazz Pub Endereço: CLS 408, Bl. C, Lj. 13
De 18 a 22 de setembro, a Capital Federal vai curtir o som de grandes jazzistas brasilienses ou radicados na Capital. O 10013 Jazz Pub promove o Festival Jazz Brasília que vai reunir talentosos instrumentistas, valorizando o que a cidade tem de melhor dentro do estilo musical nascido em Nova Orleans (EUA).


O objetivo do festival é dar visibilidade à Brasília jazzística, que muitas vezes tem pouco espaço para apresentar a riqueza de instrumentistas com excelentes trabalhos autoriais. "Nosso objetivo é  aumentar o acesso do público a este gênero musical muito cultuado por músicos e críticos", comentou Paulo Bandeira, organizador da mostra. Confira a programação:




Terça-feira (18/09): Grupo Crepta

Formado por Westonny Rodrigues (trompete / flugel), Péricles Monteiro (baixo elétrico), Sandro Alves (world percussion) e Eladio Oduber (piano elétrico), o  "Crepta"  traz  uma proposta ligada à urbanidade, modernidade e ecletismo de Brasília. Seus integrantes cultivam a  diversidade em seus percursos musicais, impregnando este novo projeto com o Jazz, o Samba Jazz, a MPB, o Latin Jazz,  o Soul instrumental e o Blues contemporâneo.




Quarta-feira (19/09): Alex Queiroz, Allen Pontes e Flavinho Silva

Alex Queiroz é contrabaixista acústico e membro da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro desde 1985 onde ocupa hoje o cargo de solista.  Iniciou seus estudos na Escola de Música de Brasília, formou- se bacharel em música pela Universidade de Brasília (UnB) e obteve o master na Messiane Academie, Holanda, sob orientação do professor Hans Roelofsen, em 2006.




Nascido em Brasília, Allen Pontes ganhou sua primeira bateria aos 03 anos de idade e começou a tocar em casa, acompanhando as musicas de Cesar Camargo Mariano; aos 08 anos, ingressou na EMB (Escola de Musica de Brasília) onde estudou e se formou e teve também a oportunidade de participar de vários Cursos de Verão e Workshops. Aos 14 anos, Allen já atuava como baterista na noite de Brasília em Bares e em Bandas de Baile da cidade. Aos 17 foi convidado a fazer alguns shows com a dupla sertaneja Bruno & Marrone, onde atuou durante um bom tempo. Aos 19 mudou-se definitivamente para o Rio de Janeiro.




Quinta-feira (20/09): Antoine Espagno e Serge Frasunkiewicz

Nascido em 1959, no sul da França, Antoine Espagno começou os estudos de Música aos 5 anos com o piano, estudando depois o violão, a percussão e em 1984, o baixo acústico, dedicando-se tanto à música erudita como à música popular.
Em 1997, após 10 anos em Paris, foi convidado para tocar na Orquestra Metropolitana de Lisboa. Aproveitou para apresentar-se no Hot-Clube do Portugal com vários conjuntos de Jazz, e aprender o português.



Serge Frasunkiewicz iniciou seus estudos musicais aos 4 anos de idade. Teve aulas com a pianista Alda Matos, onde recebeu orientação na música erudita. Aos 14 anos, iniciou seus estudos no campo jazzístico, fazendo parte da Orquestra Popular da UnB. A partir de 1998, Serge atuou como correpetidor para bailarinos do Kirov, o Grupo Corpo, Hubbard Street Dance de Chicago, o Balé do Teatro Guairá, entre outras companhias de dança. 



Sexta-feira (21/09): Georgia W. Alô
Georgia W. Alô é uma legítima "soul woman". Dona de uma voz poderosa, fortemente influenciada pelas grandes cantoras americanas de soul, blues e jazz como Aretha Franklin, Gladys Knight, Etta James, Ella Fitzgerald, Nina Simone, entre outras, ela mostra que tem total intimidade com as vertentes da música negra americana.




Sábado (22/09): Carlos Cárdenas e Oswaldo Amorim

Carlos Cárdenas é um saxofonista Venezuelano. Com residência no Brasil, integrou a orquestra de frevo do Maestro Duda (Recife) e, em São Paulo, participou de bandas de jazz com  vários artistas, como Michel Leme, Zerró Santos, Ed Mundo Cassis, Roberto Sion entre outros , além da Big Band ULM.




Natural do Rio de Janeiro, Oswaldo Amorim iniciou seus estudos em música aos nove anos de idade no conservatório Carlos Gomes (Belém-PA). Aos 16 anos o baixo-elétrico passa a ser o instrumento principal, tendo como primeiro professor o contrabaixista Dôdo Ferreira. Ainda no Rio estudou baixo e harmonia com o baixista e arranjador Aurélio Dias.

NESTA QUARTA APETITE SAMBA JAZZ TRIBO TEM ENCONTRO DE PERCURSSIONISTAS


JAZZ E BOSSA COM MARCUS BELEZA E JORGE OSCAR GRUPO NA ILHA DO GOVERNADOR NESTA QUINTA

BAR PONTAPÉ BEACH apresenta , uma noite de JAZZ & BOSSA com -MARCUS BELEZA ( piano) JORGE OSCAR (contrabaixo)- CLAUDIO(voz) PAULINHO ( perc.) Dia 20 de setembro de 2012 às 20:00h - Praia da Ribeira ,63 I.GOV - tel. 3465-2285 site www.pontapebeach.comVocê e amigos estão convidados para mais uma noite agradável de boa música

PROGRAMAÇÃO DO SANTO SCENARIUM 20 A 22/09/2012





Quinta-feira, 20 às 18h30
ANKARFELDT/ MARCIO QUARTET (DIN/BRA)
Caio Márcio – guitarra e violão, Morten Ankarfeldt – baixo acústico, Cássius Theperson (bateria) e o Rafael Brito (sax).

Caio Márcio é uma das grandes revelações do violão nacional e vem se tornando cada vez mais popular entre os guitarristas que exploram com maestria a mistura do jazz com a música brasileira. Em suas constantes viagens a Europa, Caio está cada vez mais requisitado no continente, a exemplo desse trabalho que está previsto para ser lançado em fevereiro de 2013, em Copenhague, Dinamarca.

O CD foi idealizado ao lado de um dos mais requisitados contrabaixistas daquele país, Morten Ankarfeldt e conta com músicas dos dois compositores, além de K-Ximbinho, Ion Muniz e Kai Normann Andersen. Morten tem um estilo muito pessoal e bem definido com claras referências à tradição do baixo dinamarquês. Foi sideman em muitos trabalhos importantes na Europa e seu interesse pela música brasileira vem das suas muitas viagens ao Rio de Janeiro, que contribuiu também para que ele pudesse absorver com naturalidade o famoso “balanço brasileiro”. Para o lançamento desse trabalho aqui no Rio, Morten e Caio escalaram o experiente baterista Cassius Theperson, que também gravou o CD. Além das músicas do disco, eles tocarão standards de jazz, samba-jazz e bossa nova.

Couvert artístico: R$ 10

______________________________________________________




Sexta-feira, 21 às 20h30
TRIBUTO A WES MONTGOMERY
Dino Rangel – guitarra, Roberto Rutigliano - bateria, Tomas Improta - piano e Ronaldo Diamante – baixo

Wes Montgomery foi um dos mais influentes guitarristas de todos os tempos. É conhecido por ter desenvolvido um estilo próprio de tocar a guitarra com o polegar, ao invés de unhas e paletas. Seus fraseados em oitavas também viriam a se tornar uma marca registrada de solos expressivos e melódicos. Sua extrema liberdade e naturalidade ao tocar o instrumento fez com que fosse convidado para tocar com a nata do jazz norte americano como Cannonball Adderley, Wynton Kelly, Jimmy Smith e John Coltrane (esse que teve o convite recusado).

Em 1960, foi laureado com título de "New Star" da revista especializada em jazz Down Beat. Esses quatro experientes músicos fazem esse belo tributo onde tocam temas de Wes como I know It All, Tequila, Full house, West cosat Blues, Sunny e ainda Besame Mucho, de Consuelo Veleasques; Round midnight, de Thelonious Monk e outros standards de jazz.
____________________________________________________





Sábado, 22 às 21h30
MORTEN SCHANTZ TRIO (Dinamarca)
Morten Schantz – piano, Morten Ankarfeldt – baixo e Janus Templeton – bateria.

Recentemente o pianista alcançou grande repercussão internacional com o recém-lançado CD “Conveyance”. Com uma combinação criativa de elementos do jazz, pop, rock e world music, o trio de Schantz alcança um elevado nível de consciência e sensibilidade raramente ouvido nos tempos atuais. Schantz descarta os efeitos gratuitos e as pretensiosas experimentações, e no lugar da pompa, presta uma verdadeira devoção em nome da música e de seu trio. Além dos temas do “Conveyance” (2012), ele também apresenta composições dos seus discos Shinshetsu (2006) e Smells Like Teen Spirit” (2007). 

PARA DANÇAR - SERIAL FUNKER NA BOURBOM STREET


Para Dançar
 21 e 22/09   SERIAL FUNKER
   Funk/ Black dançante/ R&B 
                                                                          
O grupo destaca-se pela voz marcante de Régis Paulino e pelos grooves inigualáveis de Luciano Ribeiro no baixo, Luguta na bateria, Herbert Medeiros nos teclados.No repertório soul music, pop, r&b, regae, samba rock sem esquecer da música de Tim Maia, Jorge Ben Jor, Roberto Carlos,Sandra de Sá e as divas da disco, entre outros.
Local: Bourbon Street- Rua dos Chanés, 127 – Moema – fone  11 5095.6100
Data: 21 e 22/ 09/2012 – sexta-feira e sábado
Horário: 00h00
Bilheteria:  2ª.f. a 6ª.f das 9h às 20h, sábado, domingo e feriado das 14h às 20h
Abertura da Casa:  21h
Couvert Artístico: R$ 50,00(sexta) e R$ 65,00(sábado)
Capacidade: 400 lugares
Censura: 18 anos - maior de 16 acompanhado de responsável
Formas pagamentos : cartões créditos todos e dinheiro
Estacionamento: R$ 20,00
Acesso deficientes

O Bourbon Street Music Club, casa reconhecida pela qualidade acústica e programação diferenciada, também é uma das melhores opções para se dançar.
De quinta a domingo a pista do Bourbon Street acolhe um público adulto, acima de 25 anos, para dançar ao som das melhores bandas e variados estilos, que vão do funk, black, disco/flash back dos anos 60 aos 90, passando pelos ritmos latimos como a salsa e merenge.
A casa está entre as boas escolhas para quem quer a comodidade de encontrar num só endereço, uma noite completa. O line up  varia entre shows de nomes nacionais e internacionais, com repertório eclético, sempre de qualidade, muitos focando o jazz, blues, soul, mas também a música nacional na apresentação de projetos, como o Na Roda, Jazz. Br, entre outros.
As opções do cardápio vão desde os drinks exclusivos, caso do Hurricane, run oro, hurricane mix ( mix de frutas vindo de New Orleans), suco de limão e açúcar,  ou o Mojito, cervejas, chopp e uma boa carta de vinhos, que acompanham a seleção de petiscos especiais, como o Sweet Poison – pasteizinhos especiais, recheados de queijo brie, acompanhados de chutney de frutas vermelhas. Como sugestão de jantar, quem quiser continuar desfrutando da cozinha com influência créole e cajun, não pode deixar de provar o Jambalaya, uma paella típica de New Orleans, com camarão, frango e linguiça, temperada à moda créole.
A casa funciona de terça a domingo, tem capacidade para 400 pessoas, o couvert artístico varia conforme a atração, possui serviço de manobrista.